segunda-feira, 9 de novembro de 2015

Aqueles dias...


 ... em que faço de mãe e pai ao mesmo tempo ou me dá só para rir ou para chorar (diria mais para me descabelar toda). Aqui há dias...foi daqueles dias :P 
Parecia que estava a ver um filme.
No trabalho lutei arduamente para não adormecer em frente ao computador. Depois... correr para ir buscar o P., a rezar para que ele estivesse melhor da carraspana com que está, já lá vai uma semana. Estava tudo bem, ainda muito ranhoso, com muita tosse, não dormiu muito, mas sem febre. O relato comum a esta semana.
Em casa o M. chegou com o avô, a chorar por todos os lados. O avô tinha-lhe feito qualquer coisa ao desenho que ele não gostou e, em fúria, amachucou o desenho todo, a dizer que aquilo ia para o lixo, que ia mandar os desenhos todos dele para o lixo. E chorava chorava... Parecia que o mundo tinha acabado. Depois de uns abracinhos e de ir desopilar para o quarto dele, lá acalmou.
P. entretanto lá fez alguma fita para comer e tal, mas a coisa correu. Não estou habituada a gerir os 2 à noite, por isso estava meia desorientada. Gosto que estejam os 2 na cama cedo (as birras provam que é uma necessidade) mas nestes dias tem sido mais difícil. 
Contrariamente ao que é costume pus o M. a ver TV e levei o P. para a cama. Claro, mas CLARO! que logo nesse dia é que ele estava sem sono. Ao meu colo mexia-me na boca, no nariz, nos olhos, irritava-se se eu o prendia mais a ver se acalmava, e trinta por uma linha. Sempre que parecia amolocer, zás... olho aberto a mexer em algo mais. Nem o burrinho (peluche favorito para dormir) o acalmava. Ou então acalmava mas demorou horas a mexer nele.
E eu impaciente. A certa altura, achando que já devia ser tarde e que o M. ainda estava sem comer, apaguei a luz, dei mais um colinho rápido e disse "soninho P,, soninho" (a palavra-chave). E toca de o deitar na cama. Já fora do quarto e através da câmara vi o rapaz a rebolar-se, a choramingar, a pegar no burrinho meio desesperado.
Paciência. Hoje não há pão para malucos!
M. ao contrário do habitual é despachado com umas papas + fruta, lavar dentes, não há história hoje "e não quero birras aviso já!!" e "não fico muito tempo contigo na cama, a mamã ainda tem muito que fazer". Meio contrariado, lá aceitou as condições (fiquei surpresa), mas o meu ar devia ser tão decidido que a coisa até correu bem.
O outro manfio pequeno continuava na sua choraminguisse. Pensei: "não te vais safar de ainda ter de ir lá dar mais colo para ele adormecer". 
Mais uns minutos a dar mimos ao M., e qual é o meu espanto quando saio do quarto dele, olho para o relógio e eram ainda 21h!!! Nem queria acreditar!! como é que os tinha despachado tão depressa?? "Vou aproveitar e vou comer, arranjar as coisas deles para amanhã e vou DESCANSAR!!!".
Toda contente lá me sento a comer descansada.
21h20: P. tosse, acorda e começa a chorar. Passado um bocado vou lá, meto a chucha e deito-o para trás. Sossega e saio (embora note um mau cheiro no quarto mas como aquilo é tipo fraldário não ligo muito)
21h40: P. levanta-se a chorar de novo. Não pára e volto lá novamente. Acalma.
22h20: Ainda a meio da preparação das lancheiras com almoços e lanches, P. chora novamente. Desta vez à séria, olha para a câmara com cara feia.
De repente oiço o M. também a chorar...
Oh nãooooooooooooooooooooooo!!!!! Mas o que se está a passar aqui?? estão os 2 a conspirar contra a minha pessoa? Vou primeiro a qual??
Entro no quarto do M. que chora porque tem medo do escuro e não quer ficar no quarto escuro, quer-se levantar. Mas M., o teu quarto não está escuro, tens a luz de presença. Mas ele insiste enquanto o outro berra no quarto ao lado. Peço para ele se acalmar, que está tudo bem, que vai ficar ali um bocadinho que eu já volto porque o mano também está a chorar. 
Saio. O P. mal eu entro acalma, mas continua choramingas e quer colo. Desta vez cheiro-o melhor e desconfio que a razão que o tem mantido incomodado (para além da carraspana) é o maldito.... COCÓ!!! Cocó na fralda claro.
Enquanto o mudo ele já está todo satisfeito a querer puxar isto e aquilo que está espalhado na cama de apoio. Oiço o M. a chamar-me. E não se cala, parece um disco riscado.
Já em despespero dou-lhe 2 berros a dizer para parar, já lá vou. O irmão dá um salto quando eu falo. Fica a olhar para mim espantado. O M. chora baixinho...
Ó céus... why me?
Acabo de mudar a fralda ao P., endireito-o, aspiro-lhe mais alguma ranhoca (ou tento, que o sacana agora puxa-me sempre aquilo da boca), deito-o ao meu colo e digo "soninho, são horas de dormir, soninhooooo". E meto-o na cama com a luz já fechada. O desgraçado abre a goela nesse mesmo segundo, mas volto a dizer firme "soninho!" e fecho a porta devagar.
Claro que não tenho fé nenhuma e sei que ele vai andar a rebolar e chorar durante 1h... 
Mas agora de volta ao M. que entretanto saiu da cama e foi ao WC. Está na sanita.
O cocó está na ordem do dia, estou a ver...
Continua com a cara cheia de lágrimas e fico molinha quando ele me diz que estava a sonhar que estava num quarto escuro, tal como tinha acontecido com os Ninjago. Dou-lhe muitos abraços e beijos. Já passou...
De volta à cama deito-me junto a ele. Mais mimos e readormece num instante.
Quando minutos mais tarde espreito pela câmara... P. dorme sossegado. Nem sei como aconteceu.

E são 23h. E de volta para a cozinha acabar o que ainda falta.

Volta Mr. T,!!! estás perdoado! ;)