quarta-feira, 26 de novembro de 2014

O mais novo

Há dias (ou seja, noites) em que penso que vou mas é rifar-te. Penso que já não tenho idade ou energia para isto (sim, é preciso muita mesmo e embora a idade nos traga paciência e calma, não traz seguramente energia), penso "filhos?... nunca mais!!" quando demoras 2h a adormecer e eu só quero é encostar-me e fechar os olhos, e todos os meus poros estão num ataque de nervos. Depois, há dias como o de hoje, em que a noite até correu bem, em que acho que até dormiste melhor, e olho com atenção para essas bochechas maravilhosas e penso que és a coisa mais bonita que me aconteceu nos últimos tempos e que até és tão bonzinho e que eu sou uma parva por me estar a queixar. Que privilégio ter um novo bebé em casa! Um bebé saudável e tão bonito... Que privilégio ver, já com outros olhos (no 1º filho o choque do cansaço é tal que penso que aproveitamos menos ao início), o desenvolvimento de uma criança. Não há nada mais fascinante, nada. Todos os bebés têm o mesmo padrão de desenvolvimento (no geral claro) e apesar de já saber o que aí vem, cada passo que dás é um renascer para mim, é o relembrar de como isto é mesmo mesmo especial.

O P. já tem 2 meses (e quase meio) e já passa muito tempo a balbuciar, especialmente se lhe damos atenção. Agita-se todo, sorri um sorriso desdentado lindo, e até já faz chorinho e beicinho quando vê que não vai ter colo (é já grande um manhoso... e tão novo o espertalhão...). Fica numa grande excitação com o móbil da cama (os amiguinhos dele como lhe chamo) e segue atentamente o que o irmão faz (vai ser lindo vai) embora este não lhe dê especial cavaco (dá umas beijocas e festas mas está noutra, quer é saber dos Vingadores). Começa a mostrar algum interesse pelas mãos: lambe-as :) Se está sem chucha (da qual até nem é especial amigo) mete a mão na boca e fica horas a lambê-la (cada maluco com a sua mania... ahahahah). E ultimamente tenho percebido que este pequeno de facto adora estar ao colo, mesmo que às vezes faça ar de quem não está nem aí.

Mas, outras vezes, ficamos bem juntinhos a namorarmo-nos. Ele olha-me longamente, eu falo baixinho (ou não digo nada) e faço-lhe inúmeras festinhas naquela sua cabeça deliciosamente redonda. Já me tinha esquecido de como é bom estar abraçada a um bebé. Aquele corpinho quentinho junto a nós. A conhecermo-nos.
E, regra geral, ele vai fechando os olhos até adormecer, mesmo que não seja um sono profundo, mas apenas uma bela ronha, que sabe tão bem especialmente agora que está frio.

O meu bonequinho pequeno é mesmo lindo! E até acho que se vai sair ao meu avô materno e vai ficar com uns fantásticos olhos cinzento-azulados. O M. está um super giraço! mas que se cuide que o irmão não vai ficar nada atrás... :)