quinta-feira, 22 de setembro de 2016

Quando alguém nos diz que está cansado...

Quando alguém (geralmente sem filhos) me diz que está super cansado/a porque teve uma grande insónia nessa noite... dá-me vontade de rir histericamente.
Assim... de modo louco. E maníaco. Tipo Joker, sabem?
Faço-o mentalmente, mas por fora mostro a minha poker face e tento fazer um ar condoído. Tenho compaixão pela pessoa sim, claro. Ninguém gosta de não conseguir dormir.
Tento mesmo não ser condescendente ou ter a mania que tenho filhos e que isso só por si me dá a sabedoria única do que é não poder dormir dias a fio (ou meses até, ou anos!). Mas caramba... a verdade é que isso me dá esse direito sim.  Tenham dó. Sabem lá o que é quererem dormir e não poderem. Não é não CONSEGUEM, é NÃO VOS DEIXAREM dormir.

Vamos a uma história?

Este fim de semana ia ser de arromba, de festa. Depois como ia estar sol íamos dar muitos passeios. Mas como ter filhos significa uma vida cheia de surpresas e mudanças de planos, a coisa não foi bem assim :P

Ora resumindo: ficámos em casa 3 dias e sem dormir uma única noite!

Imaginemos:

O vosso filho mais novo faz anos. Passam o dia a comprar comida e preparar coisas para a festa no dia a seguir. Deitam-se optimistas e a pensar como a vida é bela. Lá pela 1h da manhã a vida deixa de ser assim tão bela quando o vosso pimpolho parece tossir uma tosse estranha e desata a chorar logo a seguir. Voam até lá e a cama está toda vomitada. Depois de o tentarem acalmar, ele vomita tudo e mais alguma coisa. Em cima de vocês, do chão, e de onde houver mais para vomitar. Limpam, consolam, tentam adormecê-lo. E ele até adormece. Vocês é que não.
Passada 1h, nova vomitadela. Mais 2h de semi-sono. Mais nova vomitadela.
Perto das 5h da manhã ele chora, quer ir para ao pé do papá, mas mal percebe que afinal vai ter de dormir (mesmo que seja ao pé dele) desata a berrar e lembra-se que tem fome. Quer o "titinho" e berra até mais não. Em plena discordância lá damos (a medo confesso) o leite para a cria se calar. Pode ser que acalme, que não vomite, e que durma. Mas não. Bebe e vomita logo a seguir a acabar e chorar por mais. Queremos acalmá-lo mas está difícil. O irmão é acordado às 7h com tanto choro...

O dia segue.
O rapaz mais novo vomita até a água que se lhe dá. Cancelamos a festa. Mas embora os amigos e os filhos deles não venham decidimos que a família próxima vem na mesma, já agora tentar comemorar um bocado, o rapaz também merece! (e temos carradas de comida!)
E passamos um bom momento! De paz, risos, conversa e hamornia. O miúdo alterna entre o mimo, o cansaço e a animação. Quando as pessoas se vão embora resolvemos que o melhor é dar uma saltada ao hospital. A febre não baixou muito e nada entra naquela boca. Felizmente a visita é curta, o hospital não tem muita gente, e é oficial - virose gastrointestinal. Nessa noite volta a vomitar (tinha comido 3 bolachas no hospital, aliciado por outro miúdo que parecia uma trituradora a comer bolachas). Nova limpeza, novos lençóis. Nova choradeira despegada de madrugada que já não deixa mais ninguém dormir.

O dia passa e nada entra na boca do rapaz. Começam a ver-se os ossos, está magrinho e estou preocupada. Mas não vomita e a febre começa a baixar.
De domingo para segunda respiramos fundo. O pequenino vai ter de ficar em casa, mas ao menos vamos poder dormir descansados essa noite, sem vomitanços. Estamos nas últimas e já não aguentamos muito mais.

Mas...

Isso pensávamos nós!!

Às 3h da manhã o mais velho começa a chorar.
Raios partam, penso eu! Que raio de pesadelo teve ele agora??!!! Nãoooooo... hoje não!!! 
O pai vai lá. Volta a dizer que ele se sente enjoado e que lhe dói a garganta. Ficamos na dúvida. A palavra enjoado não é boa. A "dor de garganta" já é comum quando quer que lhe demos atenção. Tentamos convencê-lo a dormir. Sem grandes resultados. Quer que eu durma com ele. Mas não dá.
Mas vamos ao que interessa. Resumindo: minutos mais tarde desata a vomitar. Vomita o nosso colchão, a parede e o tapete...
Nem conseguimos acreditar...

Passando à frente: no dia a seguir estamos assim: mãe em casa com os 2 filhotes doentes. No dia a seguir a esse está o pai com eles. E a melhor ainda: no dia a seguir a esses está o pai doente em casa!!!!

Xiça que estou contente por estarmos quase num novo fim de semana! É desta que vamos passear e gozar o bom tempo!

E quem voltar a dizer-me que está de rastos porque nessa noite teve uma insónia... Aiiii!!! SEGUREM-ME!!

:p