quarta-feira, 16 de setembro de 2015

Acabou-se...

... o que era doce.

No meio de um dia em que o meu coração rebenta de amor por causa do 1º aniversário do meu bebé lindo, eis que uma coisa me ensombra o espírito... As 2h de aleitamento, que com tanto prazer gozei estes 7 meses, acabam hoje.

Hoje que é o teu dia de aniversário, meu fofinho lindo, é o dia em que te deixo aí mais 2 (eternas). O dia em que te vou buscar e já está mais escuro. O dia em que vais estar mais cansado e a perguntares-te porque é que os outros pais vão buscar os bebés e eu nunca mais te vou buscar.

Prevejo um final de tarde com birra e choro durante a viagem de carro. O cansaço a comer. O adormecer mais difícil (ainda).

A partir de hoje vais estar na escola um número infindável de horas, injusto para a tua tenra idade. E eu sinto-me triste por não te poder dar mais do meu precioso tempo... A ti e ao teu irmão que por vezes chega a casa perto das 19h.

Por vezes pergunto-me que raio de vida é esta em que, durante a semana, apenas acordamos os nossos filhos de manhã, metemo-los na escola, e no final do dia vamos buscá-los, dar-lhes de jantar e deitar. Para no dia seguinte repetir o mesmo.

Ah e por favor não me falem nas novas leis de trabalho, de poder trabalhar meio tempo ou trabalhar em casa. Quero saber quais vão ser as empresas que vão achar piada a isso, a ter um trabalhador a "meio gás". Quero saber quem vai ser o pai/mãe que não vai ter medo de ficar prejudicado profissionalmente e monetariamente. Quero saber quais os pais que conseguem trabalhar alguma coisa de jeito com os filhos em casa.