quarta-feira, 22 de outubro de 2014

Vários | maternidade

Veio-me agora um rasgo de genialidade à mente sobre os primeiros tempos de maternidade (lembro que ainda só vou no 1º mês):
Penso que existem 3 primeiras etapas nesta fase:
- 1ª- Fase super mulher. Os primeiros dias são de pura energia (e alegria, o deslumbre ajuda). A adrenalina do parto e a excitação do novo bebé dão-nos uma grande energia (falo por mim claro), mesmo que o numero de horas dormidas seja zero ou quase.
- 2ª - Fase tartaruga. Ao fim de 15 dias, e mesmo continuando a dormir uma média de 4 horas por dia (por vezes com intervalos pelo meio) pensamos: ah não tenho dormido nada mas consigo funcionar, raciocinar, fazer coisas, etc. (um bocado lenta mas tudo se fazzzzzzzzz...) Maravilha! Isto de ser o 2º é logo outra coisa - já tenho "calo", já me habituei a descansar/dormir menos e consigo. Espetáculo.
- 3ª - Fase Pausa / Stop / Não aguento mais. Atinge-se o primeiro mês finalmente! Já ultrapassámos um pequeno susto de mega constipação e alterno entre os dias em que me sinto com alguma energia depois de o bebé ter dormido finalmente 5h à noite (e nós umas 3h e tal seguidas), e os dias em que choro copiosamente por já não aguentar mais este ritmo há tantos dias e semanas... (nem vou falar das aventuras da amamentação...)
Passar 24h a dar de comer, por a arrotar, dar colo, dar consolo e, de repente, mal tivemos tempo de aquecer uma sopa para comer, e voltamos a fazer o mesmo... é obra. Psicologicamente uma pessoa começa a bater mal por estar tanto tempo em casa (as saídas resumem-se a médicos, centros de saúde e por aí) e fisicamente às vezes sente-se que não há energia para levantar um braço, quanto mais um ratinho (ou será ratão) de 4,350 kg... 
Sair sem o bebé para ir fazer compras ao supermercado (obrigada querida mãe ;)) é o máximo, uma excitação. Ir 1 ou 2h ao centro comercial faz-nos sentir leves e livres (mas depois voltamos a correr para casa para tocar e olhar a nossa bolinha de mel).

A licença ainda mal começou. E as peripécias de um novo bebé ainda vão no adro. Espero sinceramente que não chova muito este outono/inverno porque se fico fechada em casa a maior parte do tempo vou dar em maluca :P Quero fazer algumas saídas com o P., ele precisa de respirar ar puro e eu preciso de ar puro em todos os poros.

Depois volto a pensar nas coisas mesmo boas e deliciosas: qualquer dia já se vira sozinho, depois vai-se sentar, depois vai interagir mais connosco, sorrir, gatinhar. Vai começar a balbuciar coisas. Vou ouvir novamente o "mamã" dito por um ser pequenino. E mal posso esperar por ver novamente o mundo através dos olhos de um bebé :)




Curiosidades de 1 mês de vida:

- O meu cabelo é fascinante para o P. Sempre que olha para mim, não olha para os meus olhos, olha é fixamente para o meu cabelo acima da testa. Consegue estar horas nisto. Acho que me anda a tirar as medidas ;)
- No outro dia fomos brindados com uns sorrisos gigantes deste ratinho. Assim do nada... Foi o que lhe valeu senão rifavamo-lo ;)
- Hoje quando acordou e fui lá (ja esperneava e chorava de fome) brindou-me com novo sorriso do estilo Olá mamã :D Foi o máximo!! é simplesmente delicioso!
- A noite passada incrivelmente dormiu pela primeira vez das 11h da noite às 6h da manhã!!!!!!!!!!!!!!!!!!! E tem 1 mês!!! Deve ter sido porque no dia anterior mal dormiu durante o dia... O mais curioso é que eu às 4h e tal já estava acordada a pensar porque raio é que ele não acordava (não tem fome?, não lhe faz mal tantas horas sem comer? pobre T. lol.... e quem não dormiu fui eu (e ele)... a parva.
- Já faz birras de sono. Chora que se farta, depois se está com a chucha faz aqueles sons que eu adoro (são mesmo fofos) do oinhoinhoinhnnnn, e depois de se remexer todo, etc etc... lá começa a adormecer.
- Curiosamente até agora não tem tido as famosas (e tortuosas) cólicas (deixa-me bater na madeira). Sempre que come fica um bocado incomodado do estômago porque é um alarve e o leite cai-lhe quem nem uma bomba no estômago (e depois engole litradas de ar), mas aqueles episódios que tivemos com o M. de ele berrar durante horas, não. Dou graças aos céus! A ver se isso se mantém.


O P. está portanto a ser complacente aqui para connosco. Tudo neste processo (parto e agora a rotina de recém nascido) tem sido mais relaxado (cansaço normal à parte).

Conclusão: o P. é mesmo um fofinho! :)

(mesmo assim gostava - aliás precisoooooo mesmo - de umas 8 horinhas de sono. Mesmo, mesmo, mesmo!)