quinta-feira, 9 de fevereiro de 2012

A canção do barquinho

Ontem à noite fui deitar o M. como é costume. Para não variar tento não o excitar com alguma brincadeira e levo-o calmamente para o quarto - que já está às escuras só com uma luz de presença - e vou repetindo: soninho, tens muito soninho não tens?
Agora volta e meia ele responde: Nãoo
LOL
Mas eu sou persistente e volto aos beijinhos e ao soninho etc.
Mas ultimamente o rapazolas está mais crescido e não se quer deitar. Esperneia ao meu colo, aponta para a porta, quer trepar por mim acima, tudo para não ir para a cama. (começa cedo...)
Ontem já estava novamente com isso e eu a pensar: oh não... vai haver filme outra vez... vou ter de te deixar na cama a chorar um bocado... Mas depois pensei em tentar outra coisa. Comecei a cantar que o meu pai me cantava quando eu era pequena e comecei a aprender a contar. É a "canção do barquinho":

Era uma vez um barquinho pequenino
Que andava, que andava a navegar
Passaram-se uma, duas, três quatro, cinco, seis (e por aí adiante até onde se quiser)
semanas
E o barquinho, e o barquinho sem chegar!

Cantei baixinho, umas três vezes, a embalar suavemente. Ele lá apoiou a cabeça no meu ombro, suspirou e passado 1 minutos já estava a agitar-se impaciente (o sinal de que quer sair do colo e deitar). Deitei-o logo e lá ficou calminho a dormir.
Foi um momento bom.